Ozonioterapia é aprovada e regulamentada pelo CFF

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) votou e aprovou durante Reunião Plenária nesta quinta-feira (30), a Resolução que regulamenta a prática da Ozonioterapia pelos profissionais farmacêuticos. Com a resolução, o CFF abre mais um campo de atuação para o farmacêutico, respalda os profissionais da área que já atuam com a terapia e coloca mais essa expertise do farmacêutico a serviço da saúde da população.

Participaram da elaboração da proposta, as Farmacêuticas Dra Wanderly Barbosa Silva, Dra Cristiane Santos Coelho da Costa, ambas do Maranhão, e dos Farmacêuticos Dra Gladys Marques Santana (PR), Dr Maykon Ribeiro (SC) e Dra Letícia Maria Borsarini Nuhrich (SC), após pesquisas e estudos de casos de pacientes que obtiveram resultados positivos com o uso da Ozonioterapia no Hospital Djalma Marques – Socorrão I, da capital São Luís.

De acordo com a Dra Wanderly Barbosa, a proposta representa um grande avanço para a profissão como prática integrativa complementar. “Hoje é um dia muito importante para a profissão Farmacêutica, em especial, para os farmacêuticos que já atuam nesta área, pois teremos a segurança do respaldo legal do CFF; para aqueles que pretendem atuar, a certeza de que vão iniciar uma prática regulamentada e para os nossos pacientes, razão maior da nossa atuação, mais uma atividade na qual poderão contar com o Cuidado Farmacêutico contribuindo para a recuperação da saúde dos mesmos”, comemora.

Presente na Plenária do CFF, a presidente do CRF-MA, Dra Gizelli Coutinho acompanhou a exposição da proposta e destacou a importância de novos estudos e práticas voltadas aos cuidados farmacêuticos. “É muito importante a expansão dos serviços que compreendem a farmácia clínica proporcionando novas alternativas para o tratamento de patologias. Estamos muitos felizes com a aprovação da proposta da Ozonioterapia elaborada por profissionais maranhenses, e nos colocamos à disposição para ajudar no crescimento da profissão farmacêutica, onde iniciaremos um grande trabalho no Estado do Maranhão”, anunciou a presidente.

A proposta que deu origem à resolução foi levada a consulta pública e prevê requisitos para o reconhecimento do farmacêutico habilitado, como curso prévio de, no mínimo, 80 horas ou experiência anterior. A publicação ocorre nos próximos dias. Farmacêutico, fique atento para saber todos os pré-requisitos para atuar na área.

Parabéns a todos os farmacêuticos envolvidos na pesquisa e à Plenária do Conselho Federal de Farmácia, pela sensibilidade em aprovar mais esta área para o profissional farmacêutico!

 

Categories: Notícias CRF